Mestre dos Centavos

Sem medo, sem desculpas, apenas resultados.

sábado, 25 de abril de 2015

Atualização Patrimônio Financeiro ABR/15: R$ 17.228,00 ou - R$ 1.899,00 (-11,02%)

Salve salve bando de bicho loco

Segue mais uma atualização patrimonial do mestre dos centavos e neste mês trago algumas novidades. Para começar estou estreando minha primeira desvalorização no patrimônio, merda, mas foi necessário passar por isso pois foi por uma causa nobre, $$$.

poupança
 R$         9,00
emprestimos a receber
 R$ 17.219,00
aportes
 R$             -  
emprestimos recebidos
 R$             -  
juros de emprestimos
 R$             -  
juros poupança
 R$             -  
sobras
 R$             -  
SALDO ATUAL
 R$ 17.228,00



Não olha esses números não cara, é pior!


Para aqueles que leem o blog desde o começo é sabido que quando meu pai faleceu ele deixou alguns bens como herança. Pois bem, uma destes bens foram dois terrenos e uma casa. Após fazer a divisão dos bens fiquei com meio terreno. Um dos meus irmãos ficou com a outra metade, ou seja, tenho um terreno de “ameia” com meu brother.

Este terreno em questão encontra-se vazio e necessita de algumas benfeitorias como por exemplo aterro e calçada. Neste mês não teve jeito, tive que fazer a calçada pra fugir de uma possível multa da prefeitura pois meu terreno se encontra em uma avenida que a cada dia que passa está ficando cada vez mais movimentada. Detalhe, este imóvel fica bem do lado da minha casa então por isso preciso cuidar do mesmo ainda mais, além também de não ter o desprazer de ficar limpando a calçada de mês em mês pois o mato cresce direto junto com o lixo que as pessoas jogam pois acham que só porque tem mato e não tem calçada de concreto elas acham que tem o direito de jogar seus entulhos ali, enfim, este problema foi resolvido.

Meu irmão proprietário da outra parte infelizmente não tem condições financeiras de me ajudar no momento por isso os custos com a calçada ficou todo comigo, ele vai pagar a parte dele assim que possível pois foi como combinamos.

Pois bem senhores, diante disso foi inevitável a queda do meu patrimônio, no entanto, não foi um dinheiro mal gasto, pelo contrário, foi um investimento pois essas benfeitorias ajudam na valorização do imóvel. Sei que deve ter alguém se perguntando sobre o valor do terreno e vou dizer sem problema algum, calcula-se hoje o valor de R$ 100.00,00. Se for considerar somente a minha parte tenho R$ 50.000,00. Como moro em uma cidade no interior os terrenos aqui não valem muita coisa. Mas enfim, melhor que nada. Uahuhauhuhs.

Outro ponto que eu gostaria de considerar aqui também é que se vocês notaram o meu saldo na poupança está quase zerado, aliado ao fato de eu não ter declarado os empréstimos recebidos neste mês e ainda que os empréstimos a receber aumentaram consideravelmente com relação ao mês anterior. Eu explico isso também.




Fiz um bom negócio! Uahhauhsu

Como vocês sabem possuo uma moto, pois bem, acontece que a tempos eu já estava cogitando a ideia de trocar de motocicleta pois a minha já estava bem batidinha. Aconteceu que apareceu um anúncio da venda de uma motocicleta cinco anos mais nova e moderna que a minha, o preço estava bem em conta com relação ao preço de mercado, ai conversei com o proprietário e descobri que o mesmo estava indo embora para a terra do tio Sam EUA e precisava vendê-la o quanto antes. Há meu amigo, não deu outra, parti pra pechincha, usei meus argumentos, aquele xororô todo e consegui um bom desconto de  R$ 500,00. No final das contas comprei um produto com o valor bem abaixo do preço de mercado cerca de R$ 1.200,00 mangos a menos do que vale, nada mal né uahhuuhhuas.

Mas não acaba aqui não my friends pois vocês devem estar se perguntando sobre o que eu fiz com a minha moto antiga, eu lhes respondo. Lembram daquele meu primo na qual eu vendi uma moto e eu lucrei R$ 1.700,00 mangos?  
Vai vendo...Uahhauhhas, vendi a minha moto antiga pra ele. Vendi parcelado mas o valor da moto mais os juros que vou cobrar dele serão o suficientes para repor o que gastei na minha moto nova, ou seja, peguei um veículo cinco anos mais novo e não vou pagar nada a mais por isso.
“Aqui não xexenha” uahhauhhuauhs.

É isso soldados do milhão, aos trancos e barrancos, de negócio em negócio, de mutreta a mutreta, de real a real vamos trilhando nossa caminhada nesta incrível e custosa jornada rumo a independência financeira.


Grande AbraçoS

sábado, 18 de abril de 2015

A riqueza de cada um

Soldados, começo dizendo que esse texto em questão não é apenas um texto, mas uma história de vida, sei que a maioria de  vocês que freqüentam os blogs de finanças buscam a riqueza material, isso não está errado pois eu também me encontro na mesma busca.  O que eu quero aqui é levantar um momento de reflexão onde nós temos que parar e olhar para dentro do nosso íntimo e encontrar a essência da nossa riqueza, a riqueza de cada um.




Existem no mundo pessoas realmente extraordinárias, ricos e pobres, brancos e negros, ateus e religiosos, não importa sua origem, crença, ou raça, sempre existiram pessoas fantásticas.
O mundo as vezes parece nos contradizer, ao mesmo tempo que uns nos fazem pensar que a felicidade está nos bens materiais, outros dizem que a felicidade está nas coisas mais simples.

Quem estará com a razão? Eu penso que ninguém!

Para mim a felicidade está no particular de cada um, ora, a quem se sinta feliz dirigindo uma Ferrari e outros sentem a mesma felicidade com a mesma intensidade andando de bicicleta pelo parque.  Eu particularmente dou muito valor aos bens materiais, ainda estou aprendendo a valorizar as pequenas coisas.

A história que irei contar aqui não é a minha mas sim a de um rapaz corajoso que largou tudo o que tinha em busca de uma resposta para essa e outras questões.

Esses quadros com textos são artes do Eduardo Marinho


"Eduardo Marinho" esse é o nome dele, a princípio seu sobrenome lembra as organizações globo, mas garanto que é apenas uma simples coincidência. Nascido e criado no seio de uma família abastada  de origem militar logo cedo ainda quando criança observou o que muitos só iam enxergar mais tarde.  Quando tinha lá por volta dos seus oito anos de idade ele  foi com a sua mãe visitar uma favela pois a mesma havia feito uma promessa e levaria alguns alimentos para os mais necessitados caso seu pedido fosse atendido. Após receber a graça ela foi com seu filho Eduardo para a favela, chegando lá o menino começou a reparar nas pessoas que lá viviam e começou a se questionar porque existia tanta gente naquele estado de miséria. Ele questionou a sua mãe e a mesma  disse que não sabia o motivo mas que sempre era assim e assim seria até o fim. Esse menino cresceu com essa dúvida na cabeça e queria entender a razão da pobreza e ainda o porque das pessoas que mesmo vivendo nesta situação pareciam tão mais felizes que os próprios ricos.

Ele cresceu e no auge da sua juventude sua família já o pressionara para fazer alguma faculdade, ele queria fazer música ou artes plásticas mas seus pais logo o repudiaram dizendo que música e arte não era profissão. Então para não desagradá-los  resolveu fazer o curso de  direito pois era o único que sobrara que ainda lhe despertava alguma atenção.  Segundo Eduardo por sempre ter estudado em colégio particular e ter tido a oportunidade de ter uma educação diferenciada ele percebeu que seus colegas de faculdade que eram na sua maioria alunos que estudaram em escolas públicas tiveram uma educação totalmente pífia em comparada com a dele.  Disse que teve uma vez que um colega de classe trouxe uma prova do ensino médio para ele ver e quando viu essa prova achou que era piada. Eduardo disse que quando viu aquela prova ele teve a certeza absoluta que o ensino público é ruim não por incompetência dos seus governantes, mas ao contrário, por competência. Ou seja, é proposital que o ensino seja de péssima qualidade pois assim as pessoas não terão suas plenas capacidades desenvolvidas e não poderão se tornarem formadores de opiniões e combater o governo como de deve.




Eduardo largou a faculdade antes de terminar o primeiro ano de direito a contragosto dos seus pais, ele viu que mesmo fazendo direito só para satisfazer a vontade dos seus pais não ia fazê-lo feliz. Teve uma época que Eduardo havia conseguido entrar no banco do Brasil para trabalhar, trabalhou oito meses e saiu, pediu as contas. Ele não consegui ficar lá pois  estava se sentindo como se fosse uma peça, um parafuso facilmente substituível, não havia sentido no seu trabalho, aquele monte de números, planilhas, tabelas etc, abandonou tudo.

Antes disso ainda na época dos seus estudos Eduardo havia  entrado para o exército brasileiro, ficou pouco tempo também pois chegou a uma situação onde ele se viu apontando um fuzil para um grupo de estudantes que estavam fazendo um protesto. Largou tudo na hora e disse para seu pai que ele não queria mais essa vida e sim entender a razão da pobreza e que ele queria é saber o que era não ter NADA, abandonou sua família e foi morar nas ruas.




No começo segundo ele foi difícil mas logo se adaptou, em sua inocência logo no começo quando estava com fome  pensou: "Preciso comer, então vou procurar onde está sobrando". E lá  foi ele em um bairro nobre da cidade procurar por comida, diz  que chegou em frente a uma mansão onde estava tendo uma festa pediu um prato de comida que foi concedido com olhares de desconfiança. Sentou na beira da calçada para se alimentar e não deu dez minutos a polícia chegou e foi até ele perguntar o que queria lá. Ele disse que estava apenas com fome e por isso foi pedir comida, o policial foi rude e o fez  sair de lá.

Eduardo então começou a ir para as vilas, as favelas, e foi lá que começou a encontrar o que procurava. Amigos, família, alegria, humildade, união, solidariedade. Só que ainda ele queria mais, ele queria ser um deles mas não conseguia pois como teve uma boa educação tinha ainda o ar de riquinho, de falar bem, de comer sofisticadamente. Então ele começou a prestar atenção nessas pessoas e passou a copiá-las. Viajou pelo Brasil inteiro, conheceu muita gente, teve muitas experiências, aprendeu muita coisa e descobriu uma riqueza muito maior do que o dinheiro jamais poderia comprar, a solidariedade das pessoas pobres para com outras ainda menos favorecidas.


 Segundo Eduardo, os ricos na sua maioria são pessoas fracas, não sabem cozinhar, passar uma roupa, limpar uma casa, consertar um chuveiro. Vivem em casulos trancafiados com medo de serem roubados enquanto os pobres vivem livres nas ruas comendo seus espetinhos e tomando suas cervejas tranqüilamente. Os ricos dependem dos pobres pra tudo, se o rico come é porque teve um pobre que fez a comida,  as roupas que o rico usa foi o pobre que as produziu, a casa foi o pobre que a construiu, tudo o que o rico tem foi o pobre quem fez, ou seja não á rico sem o pobre e não há pobre sem o rico.  Se houvesse uma guerra onde o dinheiro se tornasse inútil o primeiro a padecer seria o rico pois ele não saberia se virar.


 Esse rapaz foi descoberto por um grupo de estudantes que estavam fazendo um documentário filmando mendigos nas ruas  e seu depoimento chamou a atenção de muitas pessoas.  Logo o vídeo se espalhou pela internet e muitas pessoas passaram a conhecer o seu trabalho. Eduardo Marinho já foi convidado por muitas universidades para falar sobre suas experiências e visão de mundo.  Mesmo depois de muitos anos ainda vive nas ruas pintando quadros e fazendo pequenos artesanatos.


Para resumir toda a história deste rapaz deixo a seguinte frase:

"Rico não é aquele que mais tem, mas sim aquele que menos precisa"

 Conheça a história de Eduardo Marinho, acesso o link e assista ao video no you tube.





Grande abraço


sábado, 11 de abril de 2015

Morar sozinho, os dois lados da moeda parte II

Salve Salve Soldados

E ae suas hienas famintas, aposto que estão sedentas por mais um post no blog de finanças não é mesmo? Nesta semana percebi que os blogs no geral não se movimentaram muito, então bora lá agitar nessa bagaça. uhahahus

Conforme prometido darei continuidade no assunto sobre morar com os pais ou morar solito, nesta semana o tema é morar sozinho.

Eis a questão, parte II


Para quem é adepto ao estilo forever alone,  (nem sempre este termo pode significar somente sobre relacionamentos) ou melhor dizendo morar sozinho, este ser tem lá suas vantagens por mais improvável que seja.  Eu particularmente nunca cheguei a morar sozinho, no máximo que me aconteceu foi uma vez que meus véio foram dar um rolê "viajar"  e fiquei cerca de umas duas semanas com o barraco liberado. hehe. Claro que eu como bom ser humano detentor da plena juventude idade da punheta não pude deixar de perder a oportunidade para aprontar algumas festinhas e levar umas amiguinhas pro cafofo.





Para quem está começando a vida escravista trabalhista com 18 anos de idade que é uma idade padrão mas que não é regra, quando recebe o primeiro salário percebe que tem a oportunidade de não ter mais ninguém pegando no seu pé e controlando suas ações pois um milhão de coisas vem na mente deste jovem quando este vislumbra sua vida morando longe das asas dos coroas e de alguns casos, dos irmãos ranhentos também.

 Cada indivíduo tem sua própria família, sua própria realidade e sua própria história. Existem várias situações para se analisar neste contexto, o que eu quero deixar bem claro aqui é que não podemos julgar as decisões das pessoas que optam por este caminho pois cada um conhece o chão onde está pisando.  Há situações onde a convivência com a própria família se torna insuportável, ou ainda, por falta de opção ou devido a uma série de fatores o jovem é obrigado a sair da sua casa  e procurar um novo lar. Eu mesmo tenho amigos que sairão de casa cedo e se deram bem e também tenho amigos que se deram mal. Nas duas situações ambos tiveram a mesma experiência mas um soube aproveitar as oportunidades que apareceram e soube usar as responsabilidades a seu favor, já o outro achou que era o super Mário e pensou que teria várias oportunidades de concertar as cagadas, se deu mal cagou na sua vida e sua esperança de dominar o reino e ficar com a princesa foi para as cucuias.




Dito isto, vamos ao argumentos e contra-argumentos de sair do barraco e ganhar asas para a liberdade.

Desta vez vou começar dizendo o lado ruim de morar na fortaleza da solidão.  "o super man que o diga".

Tem alguém ai?


Grana: Nem tenho muito o que falar, o gasto que você terá será dantesco comparado ao que tinha quando morava com os coroa. Você tem que pagar aluguel, água, luz, comida, gás, internet, telefone, etc, etc, etc...




Cuidados com o lar: É meu amigo, bora lá ponhar aquele avental estilo dona maria da quitanda e ir lavar suas roupas, meias, cuecas e depois lavar a louça do final de semana, fazer sua gororoba, limpar bem o barraco pois vai que aparece visita inesperada, isso acontece muito.




PS:  Só esses dois motivos já me fariam voltar correndo pra casa dos véio rapidinho mas vamos continuar com o massacre.

Imprevistos: Xiiii, você estava fazendo o arroz e quando foi ver não tinha mais óleo?  Aliás, você sabe cozinhar? Vamos para o mercado buscar então. Haa trabalhou o dia todo e está cansadinho? sem desculpas ou então você não come. A não ser que você esteja disposto a meter a mão no bolso e pedir algum lanche pra engordar ainda mais essa sua barriga de catupiry.



Falta de bons conselhos:  Pois é, não ter ninguém da família próximo a você em momentos críticos onde a necessidade de se tomar uma decisão rápida e importante se faz necessária pois um bom conselho pode ajudar e muito em determinadas situações. E não vem com esse papo que hoje temos internet, celular, etc, porque pra mim nada substitui o olho no olho.

Risco de roubo: Se você não tiver condições de morar em um AP ou condomínio fechado fudeu. Temos que trabalhar para nos sustentarmos, e ao sair de casa a deixamos sozinha o que acaba se tornando um prato cheio para os marginais de plantão. Não dá para confiar em vizinhos, então a chance de você ter aquela sua tv de plasma que comprou no mês passado em 24 prestações ser roubada são bem grandes.

Solidão: Não pense que terá festa todo santo dia na sua casa ou que sempre terá alguem lá porque não vai ter não. Você terá muitos momentos sozinho, só você e Deus, sem mais ninguém pra conversar ou se distrair. A grana ta curta? não dá pra chamar ninguém pra ir comer na sua casa? eu sei. Nessas horas os "amigos" somem mesmo.


Fica ai achando que um totó vai te salvar da solidão fica, pode ser que não! huashush


Falta de tempo: humm, então você quer além de trabalhar... estudar, ir na academia, praticar algum robby, ir no cinema, sair com os amigos, ir na casa dos parentes,  ler algum livro, entrar no facebook, lavar seu veículo, viajar? Bem, melhor esquecer isso e ir lavar a louça que ela lhe aguarda ansiosamente,  e vem logo atrás o fogão que está sujo, o chão imundo, a calçada para varrer, as contas atrasadas etc. Você até pude fazer uma coisa ou outra além de trabalhar, mas querer fazer tudo o que tem vontade está fora de questão.


Divirta-se

Sei que existem outras variáveis, outras desvantagens a se considerar mas no momento me lembrei apenas destas, podem ter certeza que tem muita mais de onde veio essas. Mas pra mim a pior parte é lavar a louça. O que você acha Einsten?

Viu, até ele sabe do que estou falando uhaahs


Agora, saindo deste limbo de coisas ruins e partindo para o lado bom da coisa vamos falar das vantagens de ir morar no cafofo próprio, ou alugado.


Liberdade: Essa é um dos primeiros argumentos que os que moram sozinhos dizem que tem, a liberdade para fazer o que quiser, quando quiser e como quiser, sem ninguém ficar no pé. Esta liberdade abra uma tangente pra várias coisas que se pode fazer no modo forever alone, vamos lá:

Poder levar quem quiser para casa: Para os marmanjos de plantão essa é uma coisa muito, mas muito boa, principalmente para os predadores das cocotas. Ter um barraco liberado já é meio caminho andado pra fazer uma moral e levar a gata pra ser... bem... você sabe do que eu estou falando seu malandro. auhuahhs

Isso que é vida


Festas liberadas: Eis ai outra boa nova, bora lá queimar aquela carne, tomar uma breja,  para alguns adeptos fumar unzinho e curtir um som. Que não seja funk por favor, a não ser que tenha algumas cabritas pra gente ver elas rebolando até o chão.  uhahuahs

Festinha em casa é o que há 

Sua gororoba e seus objetos pessoais: Nesta situação a comida que você compra você consome. Não tem ninguém pra ficar roubando seu danoninho ai meus Deus do céu, danoninho que bonitinho, nem seu pudim,  suas frutas, seu pão, seu bolo, nem seu quiabo, puta que pariu quiabo? O mesmo vale para seus objetos pessoais, ninguém usa seus perfumes, shampoo, roupas, sapatos, tênis, sabonete, creme hidratante, base, esmalte, batom... Esse papo ta ficando estranho mas eu sei muito bem que tem neguinho que gosta de escorregar no giló . uhauhahahuass

Ninguém manda em você: Se o imóvel for alugado tirando o dono da propriedade ninguém te enche o saco. Ali você é o cabeça, o chefe, você que manda e desmanda, organiza as coisas do seu jeito, limpa quando quiser,  joga seu game a vontade, ouve a musica que quiser e assiste tv ou pornô o que é muito bom quando bem entender.  

Aprende coisas úteis: O cano da pia entupiu? o chuveiro queimou? Acabou o feijão? você cagou demais e entupiu o vaso? Pois seus problemas acabaram, Chegou agora o profissional doméstico chamado "Você". Isso mesmo, você. Cabe somente a vossa senhoria concertar estes pequenos problemas, mas ao fazer isso você sai da sua zona de conforto e passa a conhecer técnicas e até ferramentas que nunca viu na vida como pro exemplo uma chave de fenda, olha que maravilha você acaba de descobrir: Uma chave de fenda! Não estou generalizando aqui não, pois conheço algumas criaturas que nunca pegaram nem um prego na mão.  O fato é que se você não tiver condições financeiras pra bancar um pequeno vazamento ou qualquer outra coisa que possa vir a ocorrer caberá somente a você levantar sua bunda gorda da cadeira e botar a mão na massa. Há não sabe como fazer? Aposto que você sabe entrar na internet né? Então aqui vai uma dica: Entra no google, digita sobre como concertar tal coisa e vua-lá, seus problemas serão resolvidos.




Paz:  O jedai mestre Yoda além de ser um grande guerreiro e conselheiro é também um grande poeta ou poeteiro uhahahuhs

Ele dará agora sua contribuição poética e filosófica para quem quer morar solito. Lá vai...




Tranqüilidade e sossego mim vai ter;

Ninguém encher meu saco vai;

Usar camisinha e de boa meter;

Gozar sem medo de virar papai.


hauhahuahu

Forte abraço!!!


$$$

sábado, 4 de abril de 2015

Morar com os pais, os dois lados da moeda

Geralmente tudo começa quando fazemos 18 anos, aquela conversa de " agora é hora de você arrumar um trampo e ser independente" realmente  acontece. A partir desta idade as responsabilidades aumentam de forma exponencial junto com todos aqueles nossos desejos desmedidos de fazer e acontecer quando estivermos na maioridade. Eu mesmo vivia dizendo pra mim mesmo que quando tivesse meus dezoito anos iria jogar sinuca a vontade, fliperama, chegar tarde em casa, beber todas,  ir na zona, farrear com os amigos na night etc. Claro que realizei alguns destes desejos e pra outras coisas nem dou mais importância, mas o fato é que junto com essa certa liberdade vem as responsabilidades de uma vida adulta cheia de deveres chatos e maçantes. Um deles sem dúvidas é o trabalho, o negócio chato.  É neste momento ou ainda um pouco mais tarde é que bate aquela dúvida na cabeça de muitos jovens que é a seguinte: 

E agora, moro sozinho ou continuo na casa dos coroa?

O dúvida cruel


Depois que ganhamos a liberdade junto com a responsabilidade nossa cabeça muda e amadurecem certas idéias, ou seja, queremos mais liberdade,  mais poder de escolha e total privacidade para realizarmos nossos desejos.  O pensamento de morar sozinho ecoa pela nossa mente e imaginamos mil e uma situações prazerosas acontecendo caso esse desejo se concretize.  É evidente que muita coisa boa pode acontecer caso juntemos nossas trouxas e decidirmos viver por conta própria mas hoje quero falar aqui sobre como é morar com os pais, primeiro vamos colocar em pauta essa  perspectiva para termos uma visão mais holística da coisa e em um outro momento (outro post), vamos falar da vida longe das asas dos coroa.

Morar com os coroa  é sem dúvidas uma das grandes vantagens do pessoal que quer investir pesado logo no início da carreira profissional, digo isso por experiência própria, morar com os pais traz muitas vantagens, eu explico o porque.

Sobra grana: O custo de morar com os veio é baixo, logo nosso poder de aporte é grande e podemos utilizar desta vantagem para nosso objetivo financeiro.

Não ter preocupação com comida: O fato de não precisar pilotar o fogão já é por si só uma grande vantagem pois além de não precisarmos cozinhar nossa própria  gororoba economizamos tempo o que é um recurso muito precioso hoje em dia. Deixe a comida pra mamãe fazer afinal comida de mãe sempre será a the best.

Não precisar lavar a própria roupa: Eu sei temos máquinas modernas hoje em dia que fazem quase tudo sozinha, eu disse quase. E se erramos na medida dos produtos... bem se errarmos,...vamos usar uma camiseta branca com algumas manchinhas. rss

Não precisar lavar a louça: Nem preciso comentar né!

Não se preocupar com contas da casa para pagar: A não ser com as nossas.

Não ter que pagar aluguel: Óbvio que temos que ajudar em casa com grana, mas o custo nem se comparar ao de morar sozinho.

Não se preocupar em fazer as compras no supermercado: Deixe o pai que se encarregue desta tarefa, "pai não esquece meu iorgut viu!" uahauhhaus

Não se preocupar com a limpeza da casa: Geralmente essa tarefa fica para as mulheres da casa (mãe e irmã), mas se você assim como eu não tem uma irmã então não custa dar uma ajudinha.

Todas essas preocupações geralmente fica a cargo dos país, os cuidados da casa com a mãe e os cuidados da manutenção econômica com o coroa chefe da casa.  É uma serie de vantagens mas cabe salientar aqui que você não está isento de certas responsabilidades como eu disse  ajudar na limpeza da casa, varrer a calçada, lavar o banheiro, isso não mata, e também  ajudar nos custos da casa afinal por mais que você seja filho o mínimo que se deve fazer é cooperar com as despesas.


Ou quase!


Calma meu caros, não fiquem excitados com esta idéia pois nem tudo são flores, sempre há os espinhos, se acalmem e vamos aos contras.

Não poder ficar levando cocotas (mulheres) pra dar umazinha: Lógico né meu irmão, ai não né. Pega mal parceiro. No máximo uma namorada até rola, mas se você for solteiro vai ser difícil conseguir a liberação dos veio.

Festinhas com amigos:  Nem pensar, afinal os coroa querem sossego.

Sua comida: Xiiii, comprou um pudim e guardou na geladeira? deixou lá por duas horas e não o está encontrando mais? Você tem irmãos? Então já sabe a resposta uahauhas

Suas coisas andam sumindo, ou foram usadas: humm, dá uma olhadinha no tópico de cima novamente uahhuahu

Nem sempre terá sossego: Afinal sempre tem uma reforma ou concerto ou algo para ir longe buscar, e adivinha quem vai?

Resumindo você não vai ter aquela privacidade que você teria se morasse sozinho mas ainda assim acho uma boa morar com papis e mamis. Uhahuahuahus.

Paremos por aqui galera, vou seguir a nova moda dos blogs agora e dar spoiler do próximo tema do blog para sábado que vem que serão as vantagens e as desvantagens de morar sozinho. Tudo voltado para o lado econômico é lógico.

Grande abraço

$$$