Mestre dos Centavos

Sem medo, sem desculpas, apenas resultados.

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Atualização Patrimônio Financeiro OUT/16: R$ 30.074,00 ou + R$ 1.140,00 ou (+ 3,94%)

I ae seus mamutes

Mais um mês foi pro vinagre e estamos caminhando para o final do ano já em clima de férias e com planos para o nosso tão querido e esperado 13º. Em dezembro sairei de férias aleluia e  vou juntar essas merrecas mais o 13º para criar um fundo de reserva que vou especificar mais  abaixo do que se trata. Mas entes disso vamos falar das verdinhas!




Para alívio dos meus adversários companheiros da blogosfera finalmente meu patrimônio perdeu um pouco daquele gás que vinha tendo nos dois últimos meses onde o dobrei rapidamente. 

A venda do carro aliado a soma de uma quantia que eu estava juntando secretamente na cooperativa de crédito da empresa onde trabalho foram os responsáveis por esse crescimento tão repentino. 

No entanto como não tenho mais carro pra vender (chateado) e nem mais carta na manga (será?) meu patrimônio crescerá limitado somente a soma dos aportes mais a rentabilidade dos meus investimentos.

Enfim 30K

De todo modo não posso deixar de estar contente pois nunca na vida tive 30 mil bananas assim limpinhas a minha disposição! Se eu quisesse eu poderia ficar de braços cruzados durante dois anos inteiros sem trabalhar para filha da puta nenhum. Claro que essa não é a ideia.  Ainda.

O que importa é que neste mês de outubro chego a marca de R$ 30.074,00 representando um crescimento de 3,94% em relação ao patrimônio anterior o que equivale a R$ 1.140,00.

Mas mestre, como está dividido seu patrimônio?

Vamos colocar as cartas na mesa jovens padawans.

TESOURO SELIC
 R$       11.127,00
POUPANÇA
 R$         3.498,00
CASA
 R$            360,00
EMPRESTIMOS
 R$         9.921,00
COOPERATIVA
 R$         5.168,00



 R$       30.074,00

A bufunfa está dividida desta forma e obviamente ela passará por alterações conforme o passar dos meses pois por exemplo esses R$ 360,00 irá para a poupança, os empréstimos recebidos uma parte também e o restante para o tesouro e etc.

Falando em Selic ando meio preocupado pois recentemente o Copom reduziu a taxa que estava em 14,25% ao ano para 14,00% e me pergunto até que ponto será viável manter esses 11K neste tipo de investimento.

Estes quase 3,5k que está na poupança no próximo mês terá que se transformar em 5k via aportes que irei fazer pois esse valor será transferido para uma conta de uma corretora e pretendo aplica-lo a algum ativo de boa liquidez. Vamos ver qual será o mais vantajoso pois é com essa grana que vou dar inicio ao meu projeto top secret que está andando a todo vapor.




Não extinguirei o uso da poupança apesar desta futura movimentação pois como falei no início do post eu vou criar um fundo de reserva de emergência no valor de 2k com uma parte do dinheiro das minhas férias e 13º para fins de uso pessoal.

Como isso vai funcionar?

Esses 2K não será contabilizado no patrimônio pois ele será meu colchão de segurança. Atualmente eu não tenho um e sempre que meu salário mensal não consegue cobrir todas as minhas despesas eu tenho que usar parte do que foi aportado para cobrir esse rombo. Por exemplo, no mês passado logo no início eu aportei do salário R$ 900,00 reais. Porem a quantia que eu havia separado para gastar no mês não foi o suficiente e tive que retirar R$ 200,00 e usar para quitar as despesas extras. Logo meu aporte que declarei ser de R$ 900,00 na verdade no final do mês virou R$ 700,00. E isso é tapar o sol com a peneira e eu não vou mais admitir isso. Dinheiro de aporte é sagrado assim diz a nossa senhora dos aportes canonizada pelo nosso amigo madruga. Tanto aporte como patrimônio não devem sofrer retiradas salvo casos de extrema necessidade. 

Então vou me defender como puder.



Quando eu tiver criado esse colchão de 2k independente de precisar usá-lo ou não, vou fazer aportes mensais de R$ 200,00 para fazê-lo crescer ainda mais até eu achar que está bom. E a forma que irei utiliza-lo caso minhas despesas mensais ultrapassem o teto estipulado será da seguinte forma:

Se por exemplo neste mês meus gastos ultrapassarem digamos R$ 150,00 a mais do que previ, esses gastos não serão pagos de forma direta pelo meu colchão de segurança via débito automático ou algo assim,  eles serão pagos com meu cartão de credito nubank que fiz a pouco tempo. A ideia é ter todos os gastos excessivos pagos pelo nubank e ai sim eu usarei o meu colchão de segurança para pagar o cartão pois eu terei um saldo de 2k na conta mais os aportes de R$ 200,00 mensais que depositarei mês a mês.

No mês que eu não tiver esses gastos  a mais eu não terei que usar o nubank e meu colchão de segurança continuará aumentando via os aportes mensais de R$ 200,00 mais os juros da poupança que vão cair todo o mês.

Vantagens deste método:



  •          Ter um cartão de crédito livre de anuidade
  •          Ao invés de pagar anuidade eu ganharei os juros da poupança mensalmente em cima do colchão de segurança
  •         Usando o cartão de crédito para pagar os gastos excepcionais eu aumento o limite dele com o passar do tempo
  •          Tanto meu patrimônio como aporte não sofrerá mais quedas de retiradas emergenciais graças a esse fundo que será criado


Atualmente o nubank só oferece opção de debito automático para quem tem conta no banco Santander e como esse não é o meu caso vou pagar o boleto através do internet banking que possuo de outro banco. Simples assim.

Não tendo mais nada de interessante a acrescentar da minha parte, eu não poderia deixar de comentar algumas coisas legais que estão acontecendo na blogosfera ultimamente. Uma delas por exemplo é o aparecimento de novos blogueiros no pedaço incluindo alguns perfis femininos. O destaque do mês sem dúvidas é da nova integrante a este seleto grupo a 
 Gatinha investidora  que chegou chegando apavorando geral e postando textos de bom conteúdo em um ritmo frenético. 

Faz uma pose pra galera ae gata e mostre a que você veio!


Credo, que medo,  essa vai dar trabalho, força nos aportes cambada que a gata quer a nossa cabeça. 

O surgimento de novos blogueiros sem dúvidas enriquecem ainda mais a nossa querida blogosfera e o compartilhamento de idéias e pontos de vistas só corroboram com ainda mais esta afirmativa. 

É isso seus mamutes, vou me encerrado por aqui e deixando mais um clip para quem quiser curtir.





Que a força esteja com vocês!

sábado, 15 de outubro de 2016

E se você tivesse começado a investir desde o começo?

Fala ae seus “murcegos”

Recentemente comecei a matutar sobre este assunto a que se refere o título do post e cheguei a conclusões  interessantes que hoje eu venho compartilhar com os senhores.  Não vou chorar as pitangas aqui, fiquem tranquilos rs.

E se eu tivesse investido parte do que ganhei desde quando comecei a trabalhar? Aonde estaria hoje? Qual seria o meu patrimônio acumulado? Para aonde vamos? De onde viemos? Ops... voltando ao assunto...

Estas são questões difíceis de responder uma vez que no decorrer do tempo há muitas variáveis a serem levadas em consideração mas que não são impossíveis de solucionar desde que tenhamos um histórico dos nossos gastos, ou ainda, dos nossos ganhos. Eu particularmente tenho adotado esta estratégia de anotar tudo que ganho e gasto de uns três anos para cá, logo usar desta primeira premissa (anotação dos gastos) está fora de questão. No entanto, no que tange aos ganhos isso é mais fácil uma vez que tenho a maioria dos meus comprovantes de pagamentos guardados e mesmo que eu não tivesse eu ainda possuo ela, a minha...




Este documento servirá de base para que eu possa levantar todo o meu histórico de ganhos ao longo da minha caminhada no mundo do trabalho.

Tudo começou em veados, digo... meados de 2004, mais especificamente em maio quando comecei minha empreitada no mundo do trabalho. Meu primeiro emprego foi na prefeitura onde eu passei em um concurso publico como auxiliar de escravo serviços gerais. Mas ai vocês devem estar se questionando: “Mas mestre,concursado  não tem registro em carteira”.

Não, não tem! Mas para mim é fácil ter o histórico desta renda uma vez que meu salário era o salário mínimo vigente da época mais 20% de adicional de insalubridade.  Partindo disto já tenho uma base de quanto ganhei no período em que fiquei nesta senzala  função e usando da minha carteira de trabalho sei exatamente o que ganhei ao longo dos demais anos.

Agora vamos a algumas observações: 




Gostaria de salientar que esta é uma conta de papel de padaria, ou seja, não sera um valor precisamente exato pois há muitas coisas que aconteceram nestes anos em que estou trabalhando ao passo que não tenho todos os comprovantes de pagamentos, com certeza vou esquecer de lançar algumas granas extras que eu tenha recebido ao longo do caminho e devido a isso vou trabalhar com uma margem reduzida, ou seja, o resultado final pode ser ainda maior do que o que será encontrado aqui.

E o que exatamente será considerado em % ou valores nesta conta? Vamos lá:

  •          30% dos meu salários mensais
  •          50% dos meus 13º salários
  •          50% das minhas férias
  •          100% das bonificações recebidas
  •          100% das horas extras
  •          100% das rescisões


·         A taxa de juros mensais de aplicação será de 1% ao mês.

Esses percentuais foram estudados e colocados de uma forma que não comprometeria minha qualidade de vida ao longo deste tempo que foi simulado.

De todas estas entradas a mais difícil de precisar sem dúvidas são as horas extras que variavam muito no período laborativo. Dos meses que eu não encontrar os comprovantes vou colocar uma média somente para ter uma base.




É importante dizer que neste cenário hipotético eu não teria:
  •         Casado
  •         Adquirido veiculos
  •         Feito emprestimos
  •         Outras cagadas


O período analisado derá de 2004 a 2016. Ou seja, 12 anos. 

Agora sem mais embromeixom vamos as contas!


ACUMULADO 2004 A 2016
ANO
30% DO SALÁRIO
H EXTRAS
SALÁRIO+HE
RESULTADO ANUAL
13º SALÁRIO
BONUS
FÉRIAS
RECISÕES
TOTAL ACUMULADO COM JUROS DE 1% AO MÊS
2004
                     86,10
        92,67
           178,77
       2.267,25
 R$     287,00
             -  
     157,00
             -  
      2.711,25
2005
                     99,30
      109,50
           208,80
       5.703,21
 R$     331,00
             -  
     200,50
             -  
      6.234,71
2006
                   116,10
      148,83
           264,93
     10.385,40
 R$     387,00
             -  
     268,00
             -  
    11.040,40
2007
                   126,00
      154,50
           280,50
     15.998,04
 R$     420,00
             -  
     284,50
             -  
    16.702,54
2008
                   196,50
        54,50
           251,00
     22.004,15
 R$     655,00
     850,00
     379,00
             -  
    23.888,15
2009
                   214,20
        77,25
           291,45
     30.614,08
 R$     714,00
  1.400,00
     153,00
   5.650,00
    38.531,08
2010
                  229,50
      109,50
           339,00
     47.717,15
 R$     765,00
     800,00
     562,50
   3.340,00
    53.184,65
2011
                   286,20
      298,67
           584,87
     67.347,41
 R$     954,00
             -  
     601,00
   5.035,00
    73.937,41
2012
                   389,10
      360,42
           749,52
     92.820,31
 R$  1.297,00
             -  
     751,50
             -  
    94.868,81
2013
                   450,90
      390,58
           841,48
   117.572,62
 R$  1.503,00
  3.000,00
     901,00
             -  
  122.976,62
2014
                   536,10
      297,08
           833,18
   149.139,94
 R$  1.787,00
  3.200,00
  1.001,00
             -  
  155.127,94
2015
                  595,80
      168,50
           764,30
   185.368,85
 R$  1.986,00
     800,00
  1.126,50
             -  
  189.281,35
2016
                   726,00
      253,42
           979,42
   223.853,77
 R$  2.420,00
  2.800,00
  1.307,00
             -  
  230.380,77

Lembrando que considerei tendo investido até o final deste ano.

Olha que incrível! O resultado é espantoso. Apesar de eu ter ganhado muito pouco ao longo destes anos eu teria conseguido chegar a bagatela de R$ 230.380,77.

Não posso deixar de mencionar aqui as oportunidades que eu também poderia ter agarrado no decorrer deste processo. 

Vejam bem:

Em veados caralho, digo... meados de 2007 eu tive uma grande oportunidade de ouro não mãos mas por não dispor de capital na época deixei passar esta oportunidade.

O que aconteceu foi que havia um sujeito colega de trabalho que tinha um imovel e queria vende-lo na época pelo preço de R$ 10.000,00. Ele chegou a oferece-lo a mim e chegou a dizer que se eu desse a metade da entrada ele parcelava o restante em parcelas de R$ 200,00 sem juros até dar os R$ 5.000,00 restantes. Repito, sem juros!  Como eu não tinha o dinheiro e como essa parcela iria “comer” boa parte do meu salário não pude ficar com o imóvel que hoje está avaliado em R$ 150.000,00. 




Claro que aqui cabe o famoso SE, o “se” não acumula este valor patrimonial, o “se” é apenas “se”, uma ilusão do que poderia ter sido mas não foi.

Olhem só, para vocês verem, se (olha o se de novo) eu tivesse começado a acumular recurso desde o incio da minha vida no mercado de trabalho eu já teria dinheiro para comprar o imóvel a vista na época e ainda sobraria um dinheirinho danado de bão. Eu continuaria com as aportes e hoje estaria com um imóvel de 150 mil na mão mais os recursos acumulados.

Isso foi só um exemplo do que podemos conseguir se nos dedicarmos a aportar parte dos nossos ganhos mês a mês. Olha que incrível que é isso! 

Essa experiência só vem para ressaltar aquela máxima que diz: 

“ Quem tem dinheiro faz dinheiro”.

Infelizmente muitas pessoas  lamentam no presente o que deixaram de fazer no passado e ainda assim não se planejam para evitar de cometer os mesmos erros no futuro.

O propósito de chegar a estes números não é se lamentar no que poderia ter sido, mas sim apontar o que ainda poderá  ser feito.  

By Mestre dos centavos, momentos filosóficos.

Imaginem só, hoje eu na casa dos 30 e lá vai burduada anos, com os juros desse patrimônio já cobririam todas as minhas despesas passivas e ainda sobrariam alguns trocados. Com apenas 12 anos de aporte, com apenas 30% da renda, alguns bônus e horas extras eu teria a minha semi independência financeira.  

A mensagem é clara confrades!




 O meu objetivo principal é de me aposentar bem pelo menos aos 50 anos de idade, ou seja, ainda tenho quase 20 anos pela frente, e tenho certeza que não vou precisar de todo esse tempo, olha a conta ai em cima... 12 anos.  Tenho tempo sobrando, posso aplicar muito mais que 30% da minha renda atualmente e com mais uma vantagem, já tenho praticamente 30mil. A renda destes 30mil já supre 20% das minhas despesas passivas. Se pra mim que já to ficando pra titio ainda há tempo imagine pra você  “jovem mancebo” (como diz o troll rs).

É fato confrades, não está tarde para ninguém! A conta ai começou em cima de um salário mínimo e uns poucos pingados. Ripa na chulipa seus “murcegos”. E vamos seguindo nesta bagaça no ritmo da musica!!!




Que a força esteja com vocês!